Uma mulher e um homem estão sentados em cadeiras, frente a frente, diante de uma janela ampla. Ela faz anotações em um caderno enquanto ele gesticula. Ao fundo, no centro da imagem, há um relógio sobre o parapeito.

Terapia sexual: como funciona na prática e quando procurar

Atendimento psicológico especializado ajuda no tratamento de ejaculação precoce, disfunção erétil, baixa libido, falta de orgasmos e outras questões sexuais

Por Thea Murta

Existem alguns mitos em relação ao que é terapia sexual, como funciona e de que forma a pessoa sexóloga trabalha na prática. Há uma confusão, por exemplo, com terapia tântrica ou orgástica – nas quais acontece contato físico entre profissional e cliente. Embora essas abordagens por vezes se dediquem ao tratamento de queixas sexuais como ejaculação precoce ou falta de  , a consulta em terapia sexual se assemelha a qualquer outra sessão de psicoterapia: o foco está em falar, ouvir, debater a questão.

A principal diferença se dá na qualificação da pessoa terapeuta, que possui técnicas específicas e pode propor exercícios individuais ou de casal. O processo da terapia sexual visa o acolhimento e o desenvolvimento de saúde sexual das pessoas e de seus relacionamentos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde sexual é um estado físico, emocional, bem-estar mental e social. Alcançá-la requer uma abordagem positiva e responsável da sexualidade e das relações sexuais – que devem ser prazerosas, seguras, livres de coerção,   ou violência.

Muitas pessoas apresentam dificuldades sexuais e a maioria delas têm causas de ordem psicológica. Desde problemas de ereção,   hipoativo (baixa libido),   (dor na penetração) a compulsões sexuais, questões relacionadas à  etc. É preciso entender que diversos aspectos emocionais podem atravessar a experiência sexual de uma pessoa: crenças disfuncionais,  ,  , experiências traumáticas, educação muito rígida, opressão sexual, falta de  saudável, problemas nos relacionamentos etc.

Quando uma avaliação médica constata que o problema se dá por alterações fisiológicas e orgânicas (envelhecimento, doenças, uso de medicamentos etc.), a terapia sexual também é importante para lidar com a angústia, a pressão e a sensação de inadequação. O objetivo das sessões é ajudar as pessoas a refletirem e trabalharem seus medos, anseios, incômodos, insatisfações; encontrarem caminhos possíveis para tratar o que está gerando sofrimento; melhorar a qualidade de vida individual ou do casal.

A terapia sexual é um processo conduzido por profissionais de psicologia ou psiquiatria com formação/especialização em sexologia. Ou seja, pessoas que estudaram todas as facetas da sexualidade humana: desenvolvimento psicossexual,  , saúde sexual,  ,  e anatômicos relacionados ao sexo, aspectos culturais e sociais, funcionamento do corpo, comportamentos, emoções,  , disfunções sexuais etc.

Terapeutas sexuais devem ser capazes de oferecer informações de qualidade e desenvolver estratégias de tratamento de acordo a necessidade individual ou de casal. Mais do que isso, devem ouvir as queixas sexuais em um ambiente seguro, acolhedor, livre de julgamentos e tabus. E sob hipótese alguma permitir ou propor no processo psicoterapêutico contato físico e práticas sexuais com clientes.

 

 

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.