Um homem branco abraça por trás outro homem, também branco. Ambos estão sem camisa, com o tronco desnudo.

Sem visão, como seria o sexo pra você?

Sexólogo com deficiência visual reflete sobre preconceito e o despertar de outros sentidos

Por Heitor Kaleo

Qual o papel da visão no exercício da sua sexualidade? O seu desejo, por exemplo, depende de estímulos visuais (como o corpo nu da parceria ou um vídeo pornô) para ser despertado? Durante o sexo, você valoriza mais outros sentidos, como tato e audição? Você acharia excitante ter relações de olhos vendados? Teria receio de transar com uma pessoa que tem alguma deficiência visual? Muitas perguntas, não? A ideia é mesmo fazer você olhar para dentro.

Antes de ser psicólogo e sexólogo, sou um homem trans com baixa visão desde o nascimento prematuro (aos cinco meses de gestação). Atualmente um dos meus olhos enxerga cerca de 30% e o outro, nada. Mesmo assim observo a superproteção em relação às pessoas com deficiência há muitos anos - inclusive a partir da minha vivência pessoal.

*Leia mais: Pessoas com deficiência têm direito de explorar a própria sexualidade

É como se não tivéssemos o direito de explorar e desenvolver a nossa sexualidade como qualquer ser humano. A sociedade pressupõe que “não damos conta” por termos “um sentido a menos”, mas esquecem que, pelo mesmo motivo, temos os outros sentidos mais aguçados... O encontro sexual se torna uma profunda experiência multissensorial.

Sem a visão, não só prestamos atenção no próprio corpo durante o sexo como sintonizamos com todo o ambiente. Textura, temperatura, cheiro, gosto e até mesmo os gemidos tendem a despertar mais prazer. Não é isso que também explica o fetiche por vendas, um jogo de privação de sentidos tão comum do BDSM?

*Leia mais: Prazer na dor? Entenda o que significa BDSM

Pessoas com deficiência podem ter desejos, fantasias sexuais e descobrir o seu erotismo - singular para cada pessoa e relacionamento. O renomado psicólogo americano Abraham Maslow, que desenvolveu uma teoria para ordenar as necessidades humanas de acordo com sua importância, apontou que a autorrealização no campo da sexualidade está na base da pirâmide. Ou seja, é essencial para alcançar a satisfação e a felicidade plena.

Por que, então, as pessoas com deficiência visual têm o direito ao erotismo e ao prazer socialmente negados? Uma das respostas possíveis está no fato de que, em muitas religiões, a deficiência é vista como castigo por um erro cometido em uma vida passada. Ela também seria punida com o afastamento do próprio prazer.

*Leia mais: Por que a concepção de pecado interfere na sua saúde sexual

Outra explicação é que pessoas com deficiência são tidas como castas, associadas a uma pureza quase divina. Sendo o sexo “profano”, não lhes caberia... Precisamos buscar informações e refletir sobre esses mitos! Só assim conseguiremos nos permitir desfrutar de uma sexualidade realmente livre, saudável e prazerosa. 

Foto: Pexels/Kentut Subiyanto

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.