Mão segura uma folha de um pé de Cannabis, planta conhecida como maconha.

Como produtos à base de maconha melhoram a vida sexual

Ginecologista especialista em Cannabinoides explica os benefícios e as indicações de uso – como dor no sexo e ressecamento vaginal

Por Mariana Prado

Imagine marcar uma consulta médica por causa de fortes cólicas menstruais, dores no sexo ou ressecamento vaginal e receber a prescrição do uso de Cannabis Sativa – a planta popularmente conhecida como maconha. São medicamentos (como Canabidiol, o CBD) e produtos em forma de cápsula, óleo, spray, entre outros, que aparecem como tratamento alternativo em diversos casos clínicos.

Como ginecologista especialista em Cannabinoides, testemunhei os benefícios da erva na saúde e no bem-estar sexual da diversas pacientes. Apesar da resistência no Brasil, a utilização terapêutica da maconha tem uma longa história e remonta a milênios atrás. O estudo de suas propriedades e do funcionamento do Sistema Endocanabinoide no corpo humano é que são relativamente recentes, a partir da década de 1960.

O que é o Sistema Endocanabinoide?  

Ele é composto por diversos receptores presentes não apenas no cérebro e no sistema imunológico, mas em vários tecidos de órgãos (incluindo os reprodutivos). Uma de suas funções é regular e equilibrar diversos processos fisiológicos, como dor e resposta ao estresse. Ao usar uma medicação com Cannabis, os diferentes compostos são capazes de ligar, bloquear e moldar a atividade desses receptores, provocando os efeitos benéficos da planta.

Tratamento para quais doenças?  

Na ginecologia, o uso de Cannabis pode ajudar nos casos de:

  • Cólicas menstruais e outros sintomas da Tensão Pré-Menstrual (TPM);
  • Transtornos de humor relacionados ao ciclo menstrual ou menopausa;
  • Sintomas da transição para a menopausa - insônia, ardência, ressecamento vaginal, coceira, dor no sexo e ao urinar, ondas de calor, osteoporose;
  • Dores pélvicas crônicas associadas, por exemplo, à endometriose.

Como usar a Cannabis

Se o seu caso for passível de tratamento com Cannabis, é preciso encontrar um(a) médico(a) especialista que faça a prescrição do medicamento. Levando em conta o quadro clínico e o histórico da doença, ele(a) definirá primeiro o tipo de composição mais adequada para você. Existem três grupos principais: Full Spectrum, Broad Spectrum ou CBD isolado. Basicamente eles variam nos compostos da planta.

Depois define-se a melhor administração do medicamento, que não provoca alteração de consciência como fumar um cigarro de maconha. Ele pode ser consumido em forma de cápsulas, gummies (balas de goma), óleo, creme e spray. Essas últimas opções geram efeitos físicos no local da aplicação, como calor e aumento de sensibilidade nos genitais.

Onde comprar

No Brasil, a ANVISA é responsável por mediar o acesso aos medicamentos com Cannabis. Eles podem ser comprados em farmácias, plataformas multimercado ou Associações. É necessário (1) ter em mãos a prescrição médica com o nome do produto, posologia, quantidade de frascos e tempo de tratamento; (2) um documento de identificação; (3) preencher uma declaração de responsabilidade.

Assim que a documentação for aprovada, um formulário para importação é gerado, com um número de protocolo. Com o processo finalizado, você pode levar para casa um remédio natural, com poucos efeitos colaterais e diversos benefícios. Inclusive para a sua vida sexual. Não é um barato?

 

*Foto: Pexels

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.