Uma mulher branca de cabelos loiros compridos e um homem branco estão sentados na grama. Ele está de costas, ela o abraça encarando a câmera.

Do outro lado da cerca: o que leva uma pessoa a trair?

Terapeutas sexuais revelam os principais motivos para a infidelidade de homens e mulheres

Por Café com Pimenta

A descoberta de uma infidelidade conjugal costuma gerar profundo sofrimento na pessoa traída. Além dos sentimentos relacionados à quebra de confiança, como decepção e raiva, é comum que se cobre da parceria explicações objetivas: com quem traiu, quando traiu, quantas vezes traiu e principalmente... Por que traiu? 

As causas ou motivações de uma “pulada de cerca” podem ser mais complexas do que se imagina. O ser humano é movido pelo desejo em todas as áreas da vida (afetiva, sexual, profissional, familiar) desde o nascimento até a sua morte. Mas será que todo desejo deve ser satisfeito? Bem, cada pessoa escolhe como lidar com seu desejo e a realização dele. E quem não consegue contornar esse dilema acaba colocando em risco relações estáveis e de longo prazo por uma infidelidade.

*Leia mais: A monogamia não é natural, mas uma escolha individual 

Mas somos seres desejantes e não monogâmicos por natureza, como muita gente acredita. A própria História mostra que o casamento não surgiu como um enlace entre duas pessoas que se amam, mas motivado por acordos financeiros entre as famílias. Com o tempo, atribuiu-se romantismo a ele e passamos a escolher uma parceria por amor. E é por isso que a traição traz consequências devastadoras na pessoa traída, gerando um sentimento de insuficiência e colocando em risco nossa sensação de segurança emocional.

*Leia mais: Como saber se é amor ou cilada?

Queremos manter a todo o custo o lugar de melhor parceria, amante e companhia de uma vida toda. Mesmo com toda a modernidade e avanço tecnológico, o ser humano ainda preza pela exclusividade emocional e sexual – a monogamia. Sim, somos egoístas e queremos ser o centro do mundo da nossa parceria, garantir que a nossa necessidade de amor seja plenamente atendida. Portanto seria inadmissível a nossa parceria desejar outra pessoa além de nós. Na prática, não é bem assim que acontece...

Homem trai mais? 

Não existe gênero quando se fala em ímpeto para a traição, de acordo com um estudo publicado em 2011 no respeitado periódico Archives of Sexual Behavior. Homens e mulheres traem. A diferença está em como a sociedade lida com cada um deles. Uma cultura machista tende a dar “passe livre” para a infidelidade masculina*, tratando-a como natural e até justificando com fisiologia (quantidade de testosterona), enquanto as mulheres tentam ser mais discretas sobre suas traições pelo julgamento social.

Principais motivos para a traição

As pessoas são infiéis pelos mais diversos motivos: escapar da rotina da relação e buscar novidade e adrenalina; histórico familiar em que a infidelidade fazia parte do padrão estabelecido; desvio de caráter ou perfil mais narcisista, se preocupando apenas com a satisfação do próprio desejo (de forma inconsequente e sem medo de um flagra) etc.

Uma pesquisa com 5.000 pessoas no Reino Unido descobriu que as principais causas para a traição feminina* estão relacionadas à falta de intimidade emocional (84%), falta de comunicação (75%), cansaço (32%), traumas ligados a sexo ou abuso (26%) e falta de interesse no sexo com a parceria atual (23%).

*Leia mais: Por que uma boa conversa pode ser melhor que sexo

Já para os homens, os motivos foram a falta de comunicação (68%), estresse (63%), disfunção sexual com a parceria atual (44%), falta de intimidade emocional (38%) e fadiga ou cansaço crônico (31%). Estranhou “cansaço” estar nessas listas? Todo relacionamento precisa de investimento de energia na vida social, afetiva e sexual do casal. Se não temos disposição para tal, a relação ficará comprometida.   

Fim ou uma oportunidade?

Sejam quais forem os motivos que levaram a uma traição, saiba que ela pode ser uma oportunidade de crescimento para o casal. Ela não precisa representar o fracasso da relação. Como tudo na vida, dependerá apenas do uso que o casal fizer da experiência e da maturidade que tenha para abordar os próprios problemas. O resultado pode ser uma relação mais madura e consolidada. Ou o fim, em que cada pessoa segue seu caminho com maior conhecimento das próprias necessidades e limitações.

*Foto: Pixabay/Pana Koutloumpasis

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.