Uma mulher negra de cabelos compridos está deitada, sorrindo, enquanto cobre parte do rosto com um edredom branco.

Masturbação: o passo a passo para começar (e amar!) a prática

Dicas sobre como preparar o clima, explorar o corpo e se dar prazer pela primeira vez

Por Teresa Embiruçu

Masturbação não é motivo nenhum para sentir vergonha (embora eu entenda a origem do tabu). Ela deveria ser uma prática corriqueira nas nossas vidas: além de proporcionar prazer, traz benefícios comprovados para a saúde. Em meu consultório de ginecologia, pergunto às pacientes com que frequência elas se tocam. Não é raro ouvir como resposta: “Nunca”. Muitas pessoas com vagina não sentem que têm permissão para explorar o próprio corpo – e não sabem como começar ou o que exatamente fazer na masturbação.

Por isso, pensei neste “passo a passo” para iniciantes. A primeira dica básica, mas essencial, é se desligar do mundo externo e colocar o foco em você mesma. Para relaxar, sugiro que feche os olhos e faça algumas respirações profundas – existem exercícios ótimos de mindfullness (atenção plena) na internet ou nas plataformas de streaming, como Spotify. Enquanto você estiver pensando em problemas familiares, questões profissionais, tarefas domésticas ou noticiário político... dificilmente conseguirá se conectar com as sensações físicas prazerosas.

Escolha o ambiente e prepare o clima. Pode ser no banheiro, na cama, no sofá da sala, numa cadeira na varanda, no carro... O ideal é que seja um lugar com privacidade – a possibilidade de um flagra pode gerar tensão. Nada de muitos porta-retratos ou objetos religiosos que podem desviar seus pensamentos (ou serem brochantes). Veja se você prefere luz acesa ou apagada, algum aroma no ar como essências e incensos, uma música gostosa ou um filme com cenas picantes.

Comece a pensar e sentir o seu corpo por inteiro. Deslize um óleo ou hidratante por toda a sua pele, da cabeça aos pés. Se estiver no banho, vale usar uma esponja e sabonete líquido para fazer bastante espuma. Você pode acariciar as mamas e brincar com os mamilos – passe as mãos de leve, depois com força, repare como prefere... Agora é hora de se olhar no espelho. Nada de espelhinho de maquiagem! Enxergue sua vulva por diversos ângulos: com as pernas mais fechadas, mais abertas, de lado, de costas, deitada, em pé. 

Bom, vamos às dicas mais explícitas. Explore a sua vulva com cada um dos seus dedos: será que a sensação é a mesma? Se você tiver pelos, esfregue-os de leve para começar a despertar a região. Depois escorregue pelos lábios maiores, menores e na entrada da vagina. Você pode testar sem um gel ou lubrificante e, em seguida, repetir a experiência com os produtos. Prefere a textura natural da pele ou algo mais molhadinho?

Agora procure o clitóris no alto da vulva. Em algumas pessoas essa bolinha poderosa está super evidente, enquanto em outras fica mais recoberto por uma pequena pele (basta puxar que ele aparece!). Faça movimentos ao redor do clitóris, de um lado para o outro, de cima para baixo, puxando e soltando, esfregando e alisando. Comece de leve e aumente a intensidade aos poucos.

Além de usar os dedos, você pode experimentar estímulos no clitóris com uma toalha, um travesseiro, um chuveirinho ou um vibrador. A vantagem do brinquedinho erótico é que ele já vem com vários modos e intensidades de vibração; alguns modelos oferecem duplo estímulo, no clitóris e na vagina ao mesmo tempo [nota da editora: confira um Guia para comprar o primeiro vibrador].

Aliás, nada impede que você estimule o clitóris com uma mão enquanto a outra brinca com os mamilos, o períneo (região erógena entre a vagina e o ânus) ou o canal vaginal. Se você colocar um dedo lá dentro durante a excitação, vai perceber que ele fica lubrificado e pulsante. Em que ou quem você está pensando nesse momento? Quais as suas fantasias sexuais, aquilo que desperta o seu desejo? Tudo isso é parte de um autoconhecimento fundamental. 

Então não se cobre para ter um orgasmo. Apenas sinta como o seu corpo reage. Você pode levar segundos ou minutos para sentir a excitação chegando e crescendo até um ponto que não conseguirá mais segurar. Encare como um exercício que uma ginecologista-sexóloga-colunista-da-LUVV prescreveu para a sua saúde sexual. Aqui o importante é descobrir os pontos mais erógenos do seu corpo. Sem vergonha, sem medos. Ninguém vai saber: segredo nosso!

 

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.