Uma mulher e um homem negros, de cabelos compridos e trançados, estão frente a frente e prestes a se beijar.

Gozar junto não é nada fácil - que tal umas dicas?

Autoconhecimento e boa comunicação sexual são elementos básicos para chegar ao orgasmo simultâneo

Por Café com Pimenta

O cobiçado orgasmo simultâneo é aquele em que as duas pessoas gozam ao mesmo tempo no sexo. Não, não é um mito. Mas também está longe de ser algo simples e frequente. Há muita idealização e pouca educação sexual. As cenas de filmes românticos, por exemplo, não abordam as diferenças no funcionamento dos nossos corpos ou a incompatibilidade de preferências sexuais. Se eu tenho facilidade de gozar estando por cima e você prefere de quatro... como chegar lá junto? 

Mais da metade (57,6%) das pessoas veem o orgasmo simultâneo como um dos principais objetivos da relação sexual, de acordo com um estudo realizado na Faculdade de Medicina do Chile. Estabelecer esse tipo de meta pode comprometer o Ciclo de Resposta Sexual – que envolve o desejo, a excitação e o orgasmo. Isso porque o sistema fisiológico é totalmente afetado por questões emocionais. A ansiedade é antagonista do prazer: provoca tensão muscular e nos coloca como espectadores no sexo. 

*Leia mais: Para mandar bem no sexo, esqueça a performance

Para casais cis e heterossexuais, o desafio de gozar junto tende a ser ainda maior. A penetração vaginal, prática sexual mais comum, costuma satisfazer os homens em poucos minutos... No entanto, o canal vaginal é pobre em terminações nervosas. O clitóris, pequeno órgão com mais de 8 mil terminações nervosas, é que funciona como gatilho para o orgasmo das pessoas com vulva. Só aqui já percebemos o desencontro anatômico.

*Leia mais: Brecha orgástica – por que as mulheres têm menos prazer no sexo?

Além disso, enquanto os homens são mais visuais, as mulheres precisam de estímulos sensoriais múltiplos (toque, cheiro, audição etc.) para que o cérebro envie sangue à região genital e talvez resulte em um orgasmo. Aonde queremos chegar? Nesse sentido, homens e mulheres têm necessidades e tempos diferentes. Na verdade, essa máxima vale para todas as pessoas! O sexo não deve ser uma corrida do casal para chegar no mesmo minuto ao ápice do prazer - mas pode ser uma experiência mágica, sim.

Dicas para ter um orgasmo simultâneo

Intimidade, sintonia e boa comunicação entre o casal são elementos fundamentais para gozar junto. Também é necessário ter autoconhecimento, percepção e controle da excitação. É a partir da consciência corporal e da interpretação de nossas sensações que conseguimos identificar a aproximação do orgasmo e conduzir conforme o nosso desejo. Algumas técnicas para vocês colocarem em prática:

  • Intercalem entre as posições sexuais que causam mais prazer em cada pessoa, favorecendo os desejos e as preferências de todes.
  • Tentem a masturbação mútua. Vocês podem se deitar frente a frente e se acariciar individualmente com um gel ou lubrificante. Prestem atenção nos detalhes: sons, expressões, respiração e tudo que ajude a sincronizar com a excitação da sua parceria (vice-versa). 
  • Comuniquem-se. Vocês podem sinalizar a proximidade do orgasmo usando uma escala de um a dez, por exemplo. Com o tempo, a técnica será desnecessária: vocês vão se “ler” por meio da linguagem corporal.
  • Conectem-se profundamente. Priorizem posições que facilitem o contato visual: além de contribuir para uma boa comunicação, cria um clima ainda mais íntimo que ajuda o ápice do prazer.
  • Exercitem o autoconhecimento. Quando vocês sentirem que estão chegando ao orgasmo, mudem de posição ou prática sexual. Ao aprender mais sobre os limites do próprio corpo, vocês conseguirão controlar o momento do orgasmo - e ele virá com mais intensidade e força.

É lógico que não existe uma “receita de bolo” para alcançar o gozo simultâneo, pois cada casal é único. Mas entrega, relaxamento e comunicação são ingredientes fundamentais. Caso uma das pessoas chegue ao orgasmo antes da outra... tudo bem! Apenas aproveite e se certifique de que a parceria também tenha uma experiência igualmente prazerosa – no tempo dela.

*Foto: Pexels / Ketut Subiyanto

 

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.