Uma mulher negra está de calcinha segurando uma flor em frente à barriga.

Depilação íntima melhora higiene e prazer sexual?

Para ginecologista sexóloga, a remoção dos pelos pubianos tem mais a ver com moda e gosto pessoal do que qualquer outra coisa...

Por Teresa Embiruçu

Ao longo das últimas décadas, enquanto a busca por diferentes métodos de depilação aumentava... os pelos pubianos diminuíam. Em um país tropical como o Brasil, a moda ditou biquínis cada vez mais cavados e os cabelinhos vulvares passaram a incomodar muitas pessoas – afinal, era algo íntimo demais para ficar à mostra. Do padrão volumoso de Claudia Ohana em seu ensaio para a revista Playboy (1985) até a vulva absolutamente lisa dos anos 2000 (referência da pornografia), bastaram uns puxões com cera quente.

Mas a remoção dos pelos da vulva traz mais benefícios ou prejuízos à saúde íntima? Bom, não existe nenhum manual de ginecologia ou protocolo rigoroso sobre o tema. Há, na verdade, uma grande questão cultural e gostos individuais – tanto em relação à estética quanto ao conforto e prazer sexual. Não me cabe opinar nesse sentido, mas desmistificar algumas ideias equivocadas sobre os pelos pubianos. Primeiro, é importante dizer que eles têm uma função protetora no nosso corpo porque evitam escoriações ou atrito direto na pele da vulva.

Dúvida cabeluda

Algumas pessoas acreditam que a presença de pelos pubianos causa mau cheiro íntimo. A vagina e a vulva têm um odor natural característico (que não deve se assemelhar à lavanda nem à peixe podre). Isso é muito pessoal: assim como cada pessoa tem um cheiro específico nas axilas, no couro cabeludo e na boca... na vulva também. Você deve conhecer o próprio cheiro e entender como se sente melhor. Não são os pelos que provocam o odor, e sim o suor e a umidade na região.

Quem opta por manter os pelos pubianos em abundância deve higienizá-los bem no banho para retirar possíveis resquícios de gordura e suor que tenham acumulado na região. Outra recomendação seria apará-los com uma tesourinha de vez em quando. O toque sutil nos pelos pubianos também pode ser um estímulo erótico interessante, seja para brincar com as mãos na hora da masturbação ou no sexo 

Como gosto é totalmente individual, a parceria pode sentir mais ou menos excitação com a presença dos pelos...  Enquanto há pessoas que estranham fazer sexo oral em uma vulva com muitos pelos por causa da textura nos lábios ou no nariz, outras reclamam da aspereza da pele totalmente depilada (em geral, por lâmina de barbear). Aliás, será que os hábitos sexuais também foram moldando esse comportamento social – a forma como nos depilamos?

Existem diversas possibilidades de “desenhos” para a depilação íntima: de coração à fino bigodinho. Para alguns casais, eles entrem em cena como brincadeiras e “surpresas” sexuais. Você provavelmente só vai saber se a sua parceria curte essa ideia se perguntar [nota da editora: leia como iniciar uma comunicação sexual neste texto].

Para não pentelhar

Cada técnica de depilação tem seus prós e contras. O que se sabe na prática é que o uso de lâmina de barbear (gilete) e de ceras (quente ou fria) aumenta as chances de provocar foliculite. Essa inflamação na base do pelo pode coçar, incomodar e até manchar a pele. Na retirada de pelos com aparelhos elétricos, há o risco de beliscar a pele e causar hematomas. A melhor opção, porém, menos acessível, é a depilação a laser. 

Seja qual for o método adotado, o melhor horário para se depilar é à noite. Assim você evita tanto a exposição ao sol quanto o atrito com as roupas, diminuindo risco de alergias e inflamações. O ideal é aguardar um tempo após a depilação (cerca de 12 horas ou até passar a reação na pele) para ter um contato sexual. Isso porque a pele fica com escoriações que podem ser porta de entrada para bactérias e infecções sexualmente transmissíveis.

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.