Uma mulher branca de calcinha preta semitransparente coloca as mãos sobre o púbis.

Cistite de lua de mel: dor para fazer xixi depois do sexo?

Descubra como evitar e tratar esse tipo de infecção urinária – e se ela é sexualmente transmissível

Por Carolina Ambrogini

A infecção urinária pós-sexo, também conhecida como “cistite de lua de mel” ou “síndrome do namorado novo”, é algo bem frequente em pessoas com vagina. Até a cantora Anitta revelou publicamente sofrer com a inflamação que atinge a uretra (canal por onde sai o xixi) e a bexiga. Os principais sintomas são ardor forte para urinar, sensação de peso em baixo ventre, sangue na urina e vontade de urinar várias vezes seguidas.

Ao contrário do que se imagina, estas infecções urinárias geralmente não são Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Elas acontecem por uma razão anatômica: pessoas com vagina tem uma uretra pequena, posicionada próxima à entrada da vagina e do ânus, o que facilita a migração de bactérias do intestino da PRÓPRIA PESSOA durante o sexo – pela penetração de pênis, dedos ou objetos (como dildos e vibradores).

*Leia mais: Mau cheiro na vagina? Descubra as causas e o que fazer

Mas por que algumas pessoas com vagina têm maior predisposição para cistite de lua de mel? Uma das explicações é a variação anatômica, ou seja, a uretra delas seria mais próxima do canal vaginal. Outros fatores, como características da flora vaginal e do sistema imunológico, ainda estão sendo investigados pela medicina.

Como evitar a infecção urinária pós-sexo?

A camisinha não protege contra esse tipo de infecção, assim como não adianta lavar muito a vulva com o objetivo de prevenir a cistite de lua de mel.

As recomendações essenciais são:

  • Urinar depois das relações sexuais;
  • Beber ao menos 2 litros de água por dia;
  • Não introduzir pênis, dedos ou objetos do ânus para a vagina;
  • Caso haja penetração anal, trocar o preservativo antes da penetração vaginal.

Algumas pessoas relatam melhora com o uso de lubrificantes no sexo – e, de fato, ele não aumenta o risco de infecção urinária. Outras se beneficiam do uso diário de componentes derivados do cranberry (existem pesquisas em andamento). Pacientes com esse tipo de infecção urinária recorrente podem receber RECOMENDAÇÃO MÉDICA para ingerir 1 comprimido de antibiótico logo após a relação sexual.

*Leia mais: 10 coisas que você precisa saber sobre a pílula do dia seguinte

Se você convive com esse problema incômodo, evite a automedicação e procure assistência médica. É importante realizar exames de urina, principalmente a urocultura, para que a bactéria seja identificada e tratada com o antibiótico correto. Já existe vacina no sistema particular contra bactérias como a Escherichia coli. Informe-se e busque ajuda. A sua saúde sexual agradece!

*Foto: Pexels / Poliana Zimmerman

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.