Duas mulheres brancas estão deitadas e se beijando de olhos fechados.

Amizade colorida: como se comportar numa relação de sexo com afeto

Sim, talvez você se apaixone... mas não dá para cobrar compromisso e fidelidade.

Por Café com Pimenta

Um relacionamento amoroso demanda compromisso, dedicação, tempo e capacidade interna para fazer concessões – especialmente se ele for monogâmico. Mas nem todas as pessoas estão dispostas a bancar essas responsabilidades e lidar com as cobranças. Talvez queiram apenas fazer sexo casual com quem também trocam carinhos e afinidades. Em outras palavras, ter uma “amizade colorida”.

“Amigos com benefícios”

Transar com um(a) amigo(a) mais de uma vez, a ponto de estabelecer uma relação sexual, pode ser muito divertido e prazeroso. Entre as vantagens: não precisar de pretextos quando simplesmente bate aquele tesão, se sentir mais confiante e à vontade na cama com uma pessoa conhecida/querida, construir uma intimidade sem o peso do compromisso, compartilhar interesses comuns antes ou depois do sexo...

O maior risco de uma amizade colorida provavelmente é se apaixonar e não ser correspondido(a). Depositar uma série de expectativas típicas de um relacionamento monogâmico. “Se o sexo é bom e existe afeto, por que não vira namoro?”, cobram da outra pessoa. Quem não está disponível para um investimento amoroso tende a se afastar, apesar do desejo de ficar perto do(a) amigo(a) colorido(a).

Segundo a psicanalista Regina Navarro Lins, estudiosa de relacionamentos e comportamento sexual, o sexo ainda está muito vinculada ao amor na nossa sociedade - principalmente para as mulheres. Por causa de uma construção social histórica, é comum que elas estabeleçam uma dinâmica inconsciente de troca: “Para fazer sexo com você, eu preciso do seu amor”. 

Portanto, para algumas pessoas, uma amizade colorida pode ser confusa e provocar mais angústia do que diversão. Mas existe amor dentro de toda relação de amizade. Não esse amor romântico pautado na possessividade, no controle e em cobranças. É um amor livre, que se dá e recebe de forma leve, genuína. Por que não aliar isso a um sexo gostoso, em que rola troca, respeito e tesão? 

Amizade colorida: como se comportar?

É muito importante que a amizade colorida seja construída a partir de algumas regras básicas.

  • Honestidade: Principalmente consigo. Antes de entrar numa amizade colorida, avalie como estão suas emoções e o que você precisa nesse momento.  
  • Diálogo: Compartilhar sentimentos é o principal alicerce para essa relação funcionar. Do contrário, estará fadada ao fracasso logo no início.
  • Respeito: Limites bem estabelecidos – desde o que cada pessoa deseja dar e receber afetivamente na relação até o quanto topa vivenciar determinadas fantasias sexuais.
  • Proteção: Não existe exclusividade sexual na amizade colorida, então usar preservativo é crucial – por mais que exista confiança mútua.
  • Cobranças: Cuidado com elas. Uma amizade colorida deve ser, por regra, um relacionamento livre. Não se sinta pressionada a aceitar encontros só para agradar, por exemplo.
  • Liberdade: Não se prive de conhecer outras pessoas e não se sinta na obrigação de prestar conta de relações paralelas. A fidelidade, neste caso, é ao acordo estabelecido entre vocês.

E se rolar uma paixão?

Pode acontecer de uma das pessoas acabar se apaixonando – ou ambas! Afinal, geralmente, já existe uma relação de amizade, afeto e admiração. Se houver também uma química sexual maravilhosa, a chance de a relação se transformar em algo a mais (como um namoro) é enorme.

Caso os sentimentos e objetivos sejam diferentes, vale uma conversa sincera para decidir os próximos passos, evitando que uma relação prazerosa se transforme num poço de mágoa e tristeza. Assim aumentam as chances de manter o respeito, o carinho e a amizade... com ou sem sexo.

*Foto: Pexels

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.