Uma mulher branca de cabelos cacheados segura uma taça de vinho dentro de uma banheira de espuma. Ela está nua, de olhos fechados e com as pernas para fora. Há velas acesas no chão.

Além do prazer: os benefícios da masturbação para a sua saúde

Ginecologista explica como a prática do sexo solitário melhora não apenas a autoconfiança como também o humor, a qualidade do sono e até as cólicas menstruais

Por Teresa Embiruçu

A masturbação consiste em esfregar ou pressionar a área dos genitais (pênis, vagina e ânus) com as próprias mãos ou por meio de objetos (de travesseiros a vibradores). Ela proporciona não apenas orgasmos, mas também benefícios físicos, emocionais e até sociais às pessoas. Apesar disso, a prática sexual solitária já foi condenada e cercada de crenças errôneas – como o risco de levar à loucura e gerar pelos nas mãos. Como escrevi neste texto, o tabu da masturbação e do prazer não-reprodutivo vem diminuindo, mas ainda persiste entre muitas mulheres. Por isso quero destacar aqui como o hábito de se masturbar contribui para a saúde e o bem-estar geral.

Quando você “se toca”, é capaz de liberar hormônios e substâncias importantes para o seu corpo. No ápice da excitação, por exemplo, produzimos um pouco mais de dopamina. Esse neurotransmissor ativa o centro de recompensa do cérebro, gerando satisfação, melhorando a capacidade de concentração e até elucidando as ideias. A produção de endorfinas e serotonina, responsáveis pela sensação de bem-estar e pelo bom-humor, também aumenta quando sentimos prazer sexual. Com isso, há uma redução no risco de depressão.

Durante o orgasmo, cresce a quantidade de ocitocina, hormônio relacionado ao afeto e ao amor. Agora você entende por que a masturbação pode ser considerada um autocuidado para qualquer pessoa? Ela melhora a autoestima e a autoconfiança. No caso de pessoas com vagina, vale dizer também que o clímax provoca contrações rítmicas dos músculos ao redor do órgão genital. Elas podem melhorar a circulação sanguínea, o aporte de oxigênio e do tônus muscular, prevenindo condições de saúde como incontinência urinária.

Logo depois de se deixar invadir pelo gozo, o hormônio prolactina sobe e o sistema endocanabinoide é ativado: você sente o relaxamento e até um soninho. Não à toa quem se masturba alivia o estresse, diminui a ansiedade e consegue dormir melhor. Com a liberação de tantas substâncias que promovem um circuito de bem-estar, é compreensível que o hábito da masturbação ajude no alívio de dores como cólicas menstruais e enxaqueca. Mas os benefícios vão muito além desta cascata de hormônios e neurotransmissores.

Essa prática sexual solitária permite conhecer os pontos mais sensíveis, excitáveis e até dolorosos no próprio corpo, facilitando a comunicação e o desempenho sexual quando na presença de outra pessoa. É possível aprender os sinais pré-orgásmicos, ou seja, como o seu organismo se comporta antes do orgasmo. Essa percepção é fundamental para adquirir autocontrole e estender a duração do sexo, algo frequentemente desejado por pessoas com ejaculação ou orgasmo precoce da masturbação seja o fato de que não há limite de idade para a prática: enquanto houver vida, ela pode ser uma fonte de prazer – e ao alcance das suas mãos.

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.