Quatro pessoas estão sentadas conversando e bebendo cerveja ao ar livre.

A diferença entre sexo, identidade de gênero e orientação sexual

Entenda o significado desses conceitos e quantos tipos existem em cada um

Por Theo Alarcon*

É comum que as pessoas confundam sexo, gênero e orientação sexual. A maioria não recebeu educação sexual na escola ou não aprendeu sobre esses conceitos para identificar as diferenças entre eles. Hoje, felizmente, a internet possibilita o acesso a informações que podem te ajudar a compreender melhor as características que compõem a sua sexualidade.

O que é sexo biológico?

O sexo é definido a partir de uma combinação genética que resulta em seus cromossomos e sua genitália - vulva e pênis, por exemplo. Esse conjunto biológico é socialmente descrito como macho, fêmea ou intersexo (conhecido antigamente como hermafrodita). Mas o sexo ou o órgão sexual é uma característica física que não determina comportamentos.

O que é gênero?

Gênero se refere aos papéis sociais, comportamentos e atributos culturalmente considerados como apropriados. Mas que não é determinado pelas características sexuais. Em países como o Brasil, existe a imposição de que o gênero é determinado pelo órgão genital. Nessa lógica, quem nasce com vagina é do gênero feminino; quem nasce com pênis é do gênero masculino. Mas essa determinação é a real ideologia de gênero, pois impõe um padrão que não corresponde à realidade de muitas pessoas, além de desconsiderar pessoas não binárias.

Existem culturas que reconhecem 3 tipos de gênero. Em Oaxaca, no México, consideram-se homens, mulheres e muxes. Muxe é uma pessoa não-binária de expressão de gênero feminina que foi atribuída como do sexo masculino ao nascer – e não se identifica como homem nem como mulher. Enquanto a Comissão de Direitos Humanos de Nova York, reconhecem 31 possibilidades de identificação de gênero.

  • Cisgênero (cis) - alguém que se identifica com o gênero que lhe foi atribuído ao nascimento. Por exemplo: Nasceu com vagina, foi identificada como feminino e se reconhece neste gênero.
  • Transgênero (trans) - alguém que não se identifica com o gênero determinado a partir de características sexuais. Por exemplo: Nasceu com pênis, foi identificada como do sexo masculino, e não se reconhece neste gênero.
  • Não-binário - alguém que não se identifica como homem ou mulher, ou seja, está fora da binariedade. Uma pessoa trans pode se identificar como: homem, mulher ou ser não binária.

O que é orientação sexual?

Orientação sexual é a direção do seu desejo afetivo e erótico. Vale lembrar que não se trata de uma escolha, portanto não é uma opção sexual, e sim uma inclinação, ou não do desejo. Existem diversas possibilidades de orientação sexual, as mais conhecidas são:

  • Heterossexual – Pode sentir atração afetiva e/ou sexual por pessoas do gênero oposto;
  • Homossexual – Pode sentir atração afetiva e/ou sexual por pessoas do mesmo gênero. No caso dos homens, são chamados de gays. Entre mulheres, lésbicas;
  • Bissexual – Pode sentir atração afetiva e/ou sexual por pessoas, do mesmo gênero ou de gênero diferente do seu;
  • Assexual - Não sentem atração sexual, independente do gênero (aqui ainda existem subcategorias, que podemos abordar em outro texto);
  • Pansexual – Sente atração afetiva e/ou sexual por todos os gêneros – homens (cis e trans), mulheres (cis e trans) e pessoas não binárias (cis e trans);
  • Polissexual – Sente atração afetiva e/ou sexual por diversos gêneros, exceto algum(uns)

Essas definições funcionam para facilitar o entendimento e não têm a pretensão de estabelecer rótulos ou ditar verdades sobre cada grupo. A sexualidade humana é realmente complexa... Uma pessoa pode ter nascido com pênis (órgão sexual), mas não se identificar com o gênero masculino (identidade de gênero) e isso não tem nada a ver com a sua orientação, que pode ser ou não por pessoas do mesmo gênero com o qual ela se identifica (orientação sexual).

O sexo biológico é desenvolvido durante a gestação, o gênero requer autoidentificação e a orientação sexual de uma pessoa é descoberta e pode ser fluida - ou seja, não necessariamente é fixa e permanece a mesma durante a toda a vida.

*Theo Alarcon é psicólogo, sexólogo e pós-graduando em terapia sexual. Atendimento à comunidade LGBTQIA+. Aulas e palestras sobre gênero e sexualidade.

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.